Os Cinco Porquinhos é mais uma das incríveis obras de Agatha Christie. A escritora britânica, uma das mais bem sucedidas de todos os tempos, no mundo, continua a surpreender e impressionar os admiradores de romances policiais.

O talentoso inspetor Hercule Poirot recebe a visita da jovem Carla Lemarchant, dezesseis anos depois do pai dela ter sido assassinado. Amyas Crale, um pintor famoso, teria sido envenenado pela esposa, Caroline Crale.

A mãe de Carla foi julgada e condenada a prisão perpétua, escapou por pouco do enforcamento, porém, morreu na prisão, um ano depois. Na época, Carla era uma criança, foi levada para muito longe de onde tudo aconteceu. Agora adulta, ela tem motivos para crer na inocência de sua mãe, mas como isso seria possível? Todos pensam o contrário.

O suicídio foi descartado, ao longo das investigações e no julgamento. Se realmente Amyas foi assassinado por outra pessoa, Caroline foi vítima duas vezes, ao perder o marido e ao ser envolvida de tal forma. Ela mal conseguia falar em sua própria defesa. Até ela estaria convencida de que seria a perfeita culpada.

Quem seria capas de arquitetar algo assim? Ou será que de fato, Caroline é culpada. Mr. Poirot é quem vai em busca das respostas. Depois de revirar os aquivos policiais da época do crime, o investigador belga ouvi os advogados de acusação e de defesa, inspetores, enfim, todos os profissionais que acompanharam o caso de grande repercussão.

Poirot conclui que, além de Caroline, cinco pessoas eram próximas e estiveram na companhia de Amyas, em seus últimos dias de vida. Somente uma dessas pessoas poderia ter matado o pintor famoso e incriminado sua esposa.

Quem são os cinco porquinhos?

  • Philip Blake, desde a infância, era um dos melhores amigos de Amyas Crale. Ele tinha grande admiração pelo pintor e nunca aprovara o casamento do amigo com Caroline. Para Philip, o casamento de Amyas era uma verdadeira prisão. Enquanto a maioria das pessoas via Caroline como uma pessoa meiga, simpática, ele a descrevia como fria, cruel e dissimulada.
  • Meredith Blake, também era amigo de infância de Amyas, mas ao contrário do irmão, tinha uma grande amizade com Caroline. Ele sempre aconselhava Amyas para que deixasse a vida de aventuras de lado, fosse fiel à esposa e desse a ela o tratamento que de fato merecia.
  • Elsa Greer era uma linda jovem, a modelo para o quadro que Amyas estava pintando e tinha certeza que seria a melhor obra de sua vida. Os dois se apaixonaram e não se preocupavam mais em esconder o romance que viviam. Elsa e Caroline estavam sob o mesmo teto e prontas para declarar guerra uma a outra.
  • Angela não passava de uma adolescente à época dos fatos, a irmã superprotegida por Caroline. Amyas também gostava da menina, mas a relação entre os dois se desgastava a cada dia. Amyas não estava satisfeito com as travessuras de Angela, coisas da idade. Por outro lado, ela estava descontente com as repreensões constantes. A infidelidade do artista talvez tenha agravado a situação.
  • Cecilia Willians, a educadora responsável pelo cuidados de Angela, apesar de rígida, tinha muito afeto pela menina e por Caroline, dona da casa. Já o comportamento de Amyas não lhe agradara em nada. Aos olhos dela, Amyas não tinha talento com os quadros, apesar da fama que o cercava, ou como chefe de família. A senhora Willians sempre soube se portar, por isso guardava para si a desaprovação a respeito de Amyas e a compaixão para com a pobre Caroline.

Caroline era culpada ou também foi vítima neste crime? Se não foi ela, qual dos porquinhos teria dado fim a vida de Amyas Crale e porque?

  • Livro: Os Cinco Porquinhos
  • Autor: Agatha Christie, 1890-1976
  • Ano: 2014, 4ª edição
  • Páginas: 296

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *